Generais-melancia?

O roteirinho que li:

Generais-melancia

Respondendo à crítica de mamãe:

Durante a visualização do vídeo, mamãe fez a seguinte crítica: “Meu filho, você reclamou que o brasileiro é covarde e sem colhões, mas também disse que acata a decisão. Isso não é incoerente? Você está se colocando como covarde também.”.

No que respondo:

“Mamãe, melhor um covarde vivo, fora da cadeia e com emprego, do que um patriota. Não existe sociedade de um homem só. Se o povo não se une para defender um ideal comum, quem sou eu para sozinho fazer qualquer coisa? Sem a razão, a tênue linha entre a coragem e a loucura do desespero desaparece. Eu vou lá me explodir para quê? Pra nada. Não, obrigado. Prefiro viver placidamente escondido numa caverna, porque, todas as vezes em minha vida em que tentei lutar por algo, não tive apoio de ninguém.

O povo é covarde sim, efeminado sim, emasculado sim. Egoísta e atento apenas aos próprios interesses. E se você não aderir a esse sistema, você não sobrevive socialmente no Brasil. Quem for lá tentar fazer alguma coisa será tachado como louco, não como herói. E eu não tenho inclinação nem para um nem para outro.

Se as forças armadas defenderem o que aconteceu em 2022, então não há o que fazer. Quem sou eu para sozinho enfrentar o exército? Melhor aceitar e aprender a conviver com isso do que lutar por uma idéia natimorta. Afinal, como já dizia um grandioso jurista por aí: ‘Eleição não se vence, se toma. Perdeu, mané, não amola.‘”

Textos citados:

O que ocasionou a derrota de Jair Bolsonaro?

Carta aberta a um funcionário patriota. (lado B)

O povo no poder – Uma crítica ao governo de Jair Bolsonaro

Dando nomes ao gado (Texto 2 de 3)

Guia da pandemia: o vírus corona no Brasil e no mundo.

Brasil, pátria achacadora V – A diarréia contínua continua.

Mensagem nº 329

Desobediência civil frente a leis injustas?

A situação popular:

A desobediência civil:

A imagem da corporação:

E já tem fila…


03/12/2022 Nova informação: acabei de ver que Malafaia se posicionou. Ele não convocou as pessoas para irem às portas dos quartéis. A informação que eu tinha quando fiz o vídeo era errada. Eu não sabia que era mentira da imprensa. Aqui, segue a errata e pedido de desculpas.

Publicidade