Anúncios

Diferentemente do Blogger, o WordPress entuba anúncios em todos os weblogs gratuitos. Não tenho responsabilidade sobre os anúncios aqui exibidos, não controlo o que é anunciado nem sou remunerado por tal publicidade. Prefiro assim.

Nada na internet é de graça! Se você não paga, alguém está pagando por você. Esta página está no ar usando os sistemas do WordPress, então nada mais justo que deixá-los ganhar algum trocado com isso.

WordPress’ politics

Conteúdo

Caso alguma postagem apresente hyperlink ”quebrado” ou mídia que não carrega, avise-me para eu reparar.

Novas redes sociais (ou A saga do pato)

TL;DR A quem interessar possa, fiz uma conta no Instagram e depois uma no Tumblr.


Texto longo:

1 – Considerando que o Facebook deu-me um famigerado strike por conta de meme;

Desde que isso aconteceu, também vem cerceando os escassos vídeos que lá adiciono para comporem as postagens desta página. Mesmo arquivos em mensagens privadas são recusados por aquela plataforma! Tenho de recorrer a subterfúgios para lá hospedar imagens ou vídeos…

2 – Considerando que manterei meu site maçante e enfadonho;

Tenho plena ciência de que filosofia, andragogia, política, ciências e meus passatempos não são interessantes à maioria das pessoas. Porém esta página é minha e reflete como eu sou: rabugento, reclamão e, digamos, “ortodoxo não-ortodoxo”.

3 – Considerando que finalmente aceitei que o Orkut não voltará -_-;

Uma pena, pois marcou história… E pessoalmente prefiro usar páginas com html/css mais simples. Não gosto de nada escondido do usuário.

4 – Considerando que tenho toneladas (virtuais) de coisas no meu computador;

Coisas que eu gostaria de compartilhar, mas que não têm lugar nesta página.

Procuro fazer deste meu sítio um ponto de referências, um repositório útil para todos que por aqui passarem. Seja uma mensagem positiva, seja uma acidamente ferrenha crítica social. Seja uma postagem sobre Ciências Puras, seja uma postagem sobre pragmatismo cotidiano. Até mesmo sobre meus passatempos preferidos! Gostaria que aqui se mantivesse um local para compartilhar informações importantes limpo e razoavelmente organizado.

5 – Considerando que não tenho smartphone (e se tudo der certo nunca terei!);

Recuso-me a me tornar escravo de um aparelho.

Pawel Kuczynski, Controle

E é difícil fazer as pessoas entenderem que não tenho zapzap! Como curiosidade, meu aparelho é um Alcatel OneTouch, que só temos porque a vida contemporânea assim o requer. E não o porto fora de casa (é mantido tal como telefone fixo).

6 – Considerando que a vida não é só feita de coisas sérias;

Decidi que precisava de um lugar para enviar somente coisas alegres e leves. Um lugar na internet só para o que for agradável de se ver, positivo, sem o ranço reclamador que me é natural. Resolvi, portanto, fazer contas em outras redes sociais. Afinal, se você não é bem quisto em algum lugar, certamente há outro que lhe acolherá de braços abertos!

O Instagram aceita que eu poste imagens normalmente ainda que ele as corte, ou seja, eu tenho que preparar cada uma, uma a uma, antes de enviar. Até aí, vá lá… Só que ele não aceitou que eu enviasse um vídeo. Tentei de novo e de novo e o vídeo foi recusado. Então fui escavar mais fundo e percebi que o sistema somente aceita vídeos no formato MP4 com codecs H.264 e áudio ACC. Converto o vídeo. Reenvio. E tomo strike na conta no primeiro dia!

O vídeo foi marcado como nudez/pornografia. Só que o vídeo é de um pato. No veterinário. ಠ_ಠ Vem cá, e os perfis das quengas seminuas (ou nuas mesmo) passam pelo filtro numa boa por causa de quê? E vejo lá embaixo, no rodapé da página, que o Instagram é parte do Facebook… Aff… Isso explica muita coisa!

Procurando então outro lugar para enfiar o bendito pato, tentei encontrar uma plataforma que aceitasse qualquer tipo de arquivo. E descobri o Tumblr, que em sua propaganda diz exatamente isso: ”poste o que quiser”. Texto, imagem, atalho, vídeo e som. “Ótimo!”, pensei. E nele também meu patinho não foi aceito…

Ó raios! Ninguém aceita meu pato!

E cogitei sobre as demais plataformas em voga. E percebi que não havia lugar para meu patinho…

*Tenho uma conta no LinkedIn, criada com o propósito de promover as postagens que aqui faço. Não é o mote tampouco a função da plataforma publicar patinhos. Descartado.

*Twitter exige número de telefone. Descartado.

*Flickr limita a conta a 1000 arquivos. Minha conta lá está para um próximo projeto. Descartado.

*Blogger é do Google e eu detesto os serviços do Google. Descartado.

*WordPress até aceita, mas é necessário pagamento. E com o preço atual do dólar: descartado.

Insatisfeito, insisti: meu pato tem que ser aceito em algum lugar! Pelos céus! E usei o arquivo preparado para o Instagram numa tentativa final antes de desistir. E nasceu:

E descubro que terei de converter cada arquivo que tenho para os parâmetros da plataforma… Que trabalhão! Ao menos o pato agora tem lugar para ficar! |:^D)

Abraham Weintraub – A força da Esquerda na Educação

Abraham Weintraub – A força da Esquerda na Educação


Abraham Weintraub – As 3 forças que destruíram o Brasil

 

Como funciona um SSD (solid state drive)?

Você sabia que a mecânica quântica é usada diariamente em nossas vidas? Os SSD que armazenam informações nos mais variados dispositivos que usamos se valem de princípios de mecânica quântica para funcionar!
Embora não compreendamos completamente como o fenômeno ocorre, ele já é aplicado rotineiramente em nossa tecnologia.
(E é um dos motivos pelos quais eu prefiro os bons e velhos HD’s! |:^P)

The Engineering Puzzle of Storing Trillions of Bits in your Smartphone / SSD using Quantum Mechanics –
Branch Education

Armas no Brasil – Câmera Record

Finalmente um documentário / reportagem investigativa isento(a), isto é, que tratou a questão das armas de fogo no Brasil de forma não tendenciosa:

  1. – O tráfico de armas para dentro do Brasil é muito grande e é facilitado pela imensa fronteira e sua inviabilidade de fiscalização;
  2. – Nossos policiais não possuem o equipamento necessário para enfrentar a criminalidade;
  3. – O monopólio de facto que ocorre no Brasil torna o armamento produzido no país de baixa qualidade.
  4. – Armas não matam pessoas. Pessoas matam pessoas.
  5. – O Estatuto do Desarmamento não cumpriu sua promessa de diminuir a criminalidade e os crimes violentos.
  6. – As políticas públicas brasileiras quanto às armas de fogo prejudicam a segurança pública, a criação de empregos e a competitividade do mercado.

Armas no Brasil – Câmera Record


O problema não são as armas: é a corrupção endêmica desta sociedade.

Inside the gangs of Rio De Janeiro – Sky News

Brazil’s Drug Gangs Are Prepared To Go To War With Bolsonaro (HBO) – VICE News

Quais são as alternativas às obras de alvenaria?

Apesar de a alvenaria ser o sistema de construção mais utilizado no Brasil, é um dos sistemas mais dispendiosos, lentos, complexos e custosos que existem. Se não for o pior de todos!

Quando alguém quer construir uma casa nova ou reformar comumente defronta-se com a questão: há outra forma de fazer essa obra? E a resposta é sim! Existem inúmeras outras formas de construção, que acabam sendo desconhecidas no Brasil ou têm sobre si o preconceito oriundo da ignorância quanto ao que é diferente.

A seguir, uma breve compilação sobre diversos sistemas ecologicamente saudáveis de construção civil. Informe-se! O mundo é muito maior que a mesmice que vivemos em terras tupiniquins…

5 Innovative BUILDING SYSTEMS for your future house #1 – Cool Gadgets & Stuff

5 Innovative BUILDING SYSTEMS for your house #2 – Cool Gadgets & Stuff

5 Eco-Friendly Building Materials #1 – Cool Gadgets & Stuff

5 Eco Building Materials #2 – Cool Gadgets & Stuff

Meu favorito pessoal: as casas de adobe
Building with Cob – A Natural & Affordable Way to Build a House – Exploring Alternative

➤ Insulated Concrete Forms – https://www.nudura.com/
➤ Aircrete Europe – https://www.aircrete.com/
➤ Superior Walls – https://www.superiorwalls.com/
➤ Spider Tie – http://spidertiesystem.com/
➤ Isotex – https://en.blocchiisotex.com/
➤ Gablok – https://gablok.be/en/
➤ Structural Insulated Panels – https://www.enercept.com/
➤ Steel Frame Construction – https://bonestructure.ca/en/
➤ M2 Building System – https://www.mdue.it/en/
➤ Interlocking Bricks – http://www.myib.com.my/
➤ Hempcrete – https://www.isohemp.com/en
➤ Straw Panels – https://ecococon.eu/
➤ Interlocking Bricks – http://www.myib.com.my/
➤ Bamboo – https://bambooliving.com/
➤ Plastic Blocks – https://www.byfusion.com/
➤ Brikawood – https://www.brikawood-ecologie.fr/en/
➤ Isotex Woodcrete – https://en.blocchiisotex.com/
➤ Cordwood House – https://cordwoodconstruction.org/
➤ Cob House
➤ Lok-N-Blok – http://www.lok-n-blok.com/

O que são madeiras nobres?

E assim vemos a dificuldade em fazer bom conteúdo no Youtube brasileiro. É cachorro latindo, é a moto do vizinho, é um estúdio improvisado… Enquanto tolos disputam likes e inscrições, excelentes conteúdos como o abaixo tem poucas visualizações.

Madeiras Nobres – Madeira Prima

Sinais de autismo em adultos e adolescentes

Sinais de autismo em adultos e adolescentes – Mamãe Tagarela

Resistência antifascista

O original!

Ver também: FASCISTA, o que é isto? https://www.youtube.com/watch?v=p9K71TRrW0g


Tempos obscuros ora obscurecem vozes antagônicas ao status quo.

Durante décadas o mundo livre não apenas viu, mas também contribuiu, pagando ingresso ao torpe espetáculo que ora egressa do oriente e derruba de soslaio, por condutas oblíquas, valores e padrões morais de nossas tradições.

A transferência de parques industriais à mão-de-obra irrisoriamente módica chinesa, com fins de magnificar o lucro capitalista neoliberal, ironicamente deu àquela democracia popular poder econômico que hodiernamente supera boa parte dos países do mundo.

Mais de um bilhão de felizes e ditosos escravos de um partido fasci-comunista sustentam economicamente uma força armada cada vez mais ampliada e exaltada nas oficiais propagandas daquela maravilhosa nação.

Neste tempo de mundo globalizado, em que o poder hegemônico vermelho já se enraizou nas principais organizações internacionais, o ocidente se vê surpreendido por ver crescer a árvore que plantou e regou carinhosamente por longas e rápidas décadas.

E o que este desconhecido escritor tem a ver com isso? Exatamente o mesmo que você que tropeçou por estas linhas. Este meu weblog tem recebido rotineiramente visitas com IP da China após ter publicado foto crítica ao Partido Comunista Chinês. Meu Facebook privado ganhou um strike e a página nele referente a este sítio também tem apresentado um comportamento estranho.

É óbvio e claro e evidente que, mesmo em tempos obscurecidos, não estou sendo vigilantemente vigiado. Não há um agente humano observando e seguindo cada passo meu. Essas coisas são feitas por algoritmos, isto é, tecnologias de informação: computadores que são capazes de identificar, traçar, investigar, caçar e agir segundo o que forem programados para fazer muito mais rapidamente do que seres humanos conseguiriam. Programados, claro, segundo a amarela vontade comunista.

Como amarelo e vermelho dá laranja, somos espremidos virtualmente em um suco estragado e tangivelmente em um bolo solado. Nossos congressistas desejam amordaçar-nos, seja por obrigar uso de máscaras (fisicamente e simbolicamente cobrindo nossas bocas), seja por cercear as redes sociais. O grande escape da população frente às mídias tradicionais, as redes permitiram que não mais a comunicação fosse feita unidirecionalmente, dando voz a todos que quiserem ser ouvidos. O controle da informação se perdeu. Difuso se tornou o conhecimento. E aterrorizados ficaram aqueles que antes decidiam o que era verdade e o que era mentira.

E com as novas normas propostas querem devolver a esses antigos e arcaicos arautos da verdade, bastiões da imparcialidade, a credibilidade de dizer o que é falso (ou na palavra da moda: fake). O cítrico laranjal deixa de ser de partidos políticos (e outras formas de crime organizado) e passa a ser de todos nós. Tornamos-nos paulatinamente as próximas laranjas a serem espremidas pelo comunismo chinês.

Primeiro eles controlam o que não podemos falar, depois o que devemos falar e finalmente se podemos ou não falar. As grandes corporações assim como alguns Estados soberanos já encontram suas fileiras intelectuais e governamentais infestadas pela praga marxista (e pela peste chinesa). De subornos a assassinatos, nada é moralmente repreensível se isso levar ao controle sócio-político e econômico de todo o mundo por parte do Partido.

”Dê poder a um homem e verá sua verdadeira face” diz o ditado. Deram a um país inteiro. Se tivessem estudado história, saberiam que a China sempre foi, por séculos e séculos, a vanguarda da civilização. Do papel à pólvora, sempre detiveram as mais avançadas tecnologias, os maiores exércitos, as maiores naus. A Europa, subúrbio do mundo, desenvolveu-se para descobrir o ”caminho para as índias”, exatamente para não depender das rotas da seda e especiarias. Os chineses sabiam da existência da América muito antes dos europeus, mas não lhes era lucrativo.

Eles são agressivos nos negócios e na política. É de sua história. E não contar que eles se reergueriam em vultosa monta foi um crasso erro agravado por desconsiderarem o perigo comunista. O fim da guerra fria no ocidente e a vitória da direita parece-me ter feito cegos os olhos para a esquerda do resto do mundo. Um resto agora muito maior, mais violento, mais poderoso e mais perigoso do que o anterior.

Bastaram os protestos em Hong Kong se tornarem nocivos à política de Xi Jinping que o mundo inteiro recebeu a ordem: “fique em casa”. E bilhões de aquiescentes de todas as cores acataram a ordem na maior prova de engenharia social e de controle de massa da história da humanidade.

”Chame os outros do que você é.” O escarcéu pró-democracia ANTIFA é aplaudido pela imprensa que quer definir o que é fake news. A senhorinha com a bíblia na mão e que reclama da corrupção é a retrógrada autoritária antidemocrata fascista. E todos agimos como se tudo estivesse bem, como se as instituições estivessem bem, como se a liberdade estivesse a salvo.

Estranhos tempos obscuros em que, vidas negras, importam.


Eu já sei de antemão que serei criticado por racismo. Usar a semântica de ”enegrecer” e ”denegrir” é racista, fascista, supremacistabranquista. Porém, metaforicamente dizer que a esquerda deseja tornar as vidas negras, tolhendo liberdades e valores, importando mais uma coisa ruim da China, e fazer o jogo de palavras com o nome do movimento terrorista de esquerda Black Lives Matter aliado aos ANTIFAS, é um exercício da minha liberdade de escrita e expressão, algo que para mim não tem preço. Muito gostaria que outros também não deixassem calar suas vozes frente à censura. Ao menos enquanto temos tempo.

Além disso, você se importou que eu chamei os chineses de ”amarelos”? Gotcha.


Para saber mais:

Homenagem ao Soldado Mário Kozel Filho, morto em 1968 defendendo a nação contra terroristas.

COMUNISMO, FASCISMO E LIBERALISMO: ADVERSÁRIOS OU IRMÃOS? – Brasil Paralelo

O Mundo Segundo Xi Jinping 2018 Documentário

Antropologia filosófica e teoria da liberdade em J. S. Mill

Antropologia filosófica e teoria da liberdade em J. S. Mill
Gilmar do Nascimento Santos

Tese (Doutorado em Filosofia)
Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

Este trabalho examina a relação entre a antropologia filosófica e a teoria da liberdade na obra do filósofo John Stuart Mill. Parte-se da ideia básica segundo a qual a filosofia prática do autor inglês tem como ponto basilar uma concepção de natureza humana descrita nos termos de viventes que podem desenvolver indefinida e harmoniosamente as suas potencialidades. Tal concepção de natureza humana fundamenta o que se poderia denominar uma concepção “ampla” de liberdade. A liberdade ampla encerra em si as duas dimensões da liberdade, a saber: a liberdade compreendida em termos epistemológicos e metafísicos (tema preferencialmente tratado pela metaética); e a liberdade nos domínios da moral e da política (tema abordado pela filosofia prática normativa). Apresento então as duas dimensões da liberdade e suas conexões com a antropologia filosófica de Mill.

Palavras-chave: John Stuart Mill. Antropologia filosófica. Teoria da liberdade.

Texto completo: Antropologia_filosofica_e_teoria_da_liberdade_em_J_ S_Mill_Gilmar_N_Santos

Como funciona o reator nuclear da USP

Como funciona o reator nuclear da USP