Perfil dos alunos do ensino superior – Parte 5

RITMO DA TECNOLOGIA É DECISIVO PARA FORMAR A PERSONALIDADE DA GERAÇÃO Z
Fábio Turci

O mundo desses jovens, nascidos em meados de 1990, sempre teve internet, e-mail, celular, e, a toda hora, aparece uma novidade. A tecnologia também molda uma geração em que a comunicação é instantânea e nem sempre depende do olho no olho.

Texto completo: Ritmo da tecnologia é decisivo para formar a personalidade da geração Z


Fonte: http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2010/11/ritmo-da-tecnologia-e-decisivo-para-formar-personalidade-da-geracao-z.html

Anúncios

Perfil dos alunos do ensino superior – Parte 4

O DESENVOLVIMENTO HUMANO NA TEORIA DE PIAGET
Márcia Regina Terra

O estudo do desenvolvimento do ser humano constitui uma área do conhecimento da Psicologia cujas proposições nucleares concentram-se no esforço de compreender o homem em todos os seus aspectos, englobando fases desde o nascimento até o seu mais completo grau de maturidade e estabilidade. Tal esforço, conforme mostra a linha evolutiva da Psicologia, tem culminado na elaboração de várias teorias que procuram reconstituir, a partir de diferentes metodologias e pontos de vistas, as condições de produção da representação do mundo e de suas vinculações com as visões de mundo e de homem dominantes em cada momento histórico da sociedade.

Dentre essas teorias, a de Jean Piaget (1896-1980), que é a referência deste nosso trabalho, não foge à regra, na medida em que ela busca, como as demais, compreender o desenvolvimento do ser humano. No entanto, ela se destaca de outras pelo seu caráter inovador quando introduz uma ‘terceira visão’ representada pela linha interacionista que constitui uma tentativa de integrar as posições dicotômicas de duas tendências teóricas que permeiam a Psicologia em geral – o materialismo mecanicista e o idealismo – ambas marcadas pelo antagonismo inconciliável de seus postulados que separam de forma estanque o físico e o psíquico.

Texto completo: O DESENVOLVIMENTO HUMANO NA TEORIA DE PIAGET


Fonte: https://www.unicamp.br/iel/site/alunos/publicacoes/textos/d00005.htm

Perfil dos alunos do ensino superior – Parte 3

GERAÇÕES APRESENTAM DIFERENTES PERSPECTIVAS E METAS PROFISSIONAIS
Fábio Turci

Nos últimos 50 anos, o intervalo entre uma geração e outra ficou mais curto. Isso significa que pessoas de diferentes idades estão convivendo cada vez mais seja em casa ou no trabalho. Entenda como pensa cada grupo de idade.

Texto completo: Gerações apresentam diferentes perspectivas e metas profissionais


Fonte: http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2010/11/geracoes-apresentam-diferentes-perspectivas-e-metas-profissionais.html em 07/10/2016

Perfil dos alunos do ensino superior – Parte 2

CONCEPÇÃO DE CARL ROGERS SOBRE APRENDIZAGEM
Elisa de Mello Kerr Azevedo

Estudar a teoria de Rogers é muito importante para o educador, pois este perceberá, através dela, que há um grande trajeto a ser percorrido por todos. Um caminho repleto de esperança, conquistas, respeito, desafios, ousadia e, principalmente, muito trabalho.

Sua teoria convida a todos a refletir sobre as mudanças necessárias e que devem ser buscadas, tanto dentro como fora da sala de aula. Ela aponta para uma profunda mudança no relacionamento entre professor e aluno, relacionamento esse capaz de provocar transformações intensas, tanto no comportamento de ambos como na busca dos saberes.

Texto completo: Concepção de Carl Rogers sobre aprendizagem


Fonte: https://elisakerr.wordpress.com/concepcao-de-aprendizagem-de-carl-rogers/ em 07/10/2016

Perfil dos alunos do ensino superior – Parte 1

ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES PARA A EMPREGABILIDADE: EXPLORANDO A VISÃO DOS ESTUDANTES
Mônica Zulauf

Este artigo examina a postura dos estudantes em relação ao desenvolvimento das habilidades de empregabilidade no ensino superior. A análise se baseia em um questionário de pesquisa apresentado a 60 alunos de graduação, os quais cursaram bacharelado em políticas sociais e bacharelado combinado em políticas sociais e sociologia em uma universidade londrina, criada depois de 1992. A pesquisa examina a opinião que os estudantes têm sobre as habilidades desenvolvidas e sobre suas preferências no que diz respeito ao desenvolvimento das habilidades para a empregabilidade. Os resultados mostram que a maioria dos estudantes considera de igual importância o conhecimento sobre matérias variadas e o desenvolvimento de habilidades relacionadas à empregabilidade. Há total apoio para uma estratégia institucional e um modelo integrado que reforcem as habilidades para a empregabilidade. Os resultados finais endossam a necessidade do desenvolvimento de habilidades para a empregabilidade, no contexto da aprendizagem.

Texto completo: a06n16


Fonte: Sociologias, Porto Alegre, ano 8, nº 16, jul/dez 2006, p. 126-155
http://www.scielo.br/pdf/soc/n16/a06n16.pdf