Trabalhos de conclusão de curso: material complementar – Parte 4

QUALIDADE E PESQUISA NA UNIVERSIDADE
Pedro Demo

A Universidade poderia ser uma das instituições mais relevantes da sociedade e da economia, desde que fosse o lugar privilegiado da construção do conhecimento e da educação de novas gerações. Enquanto permanecer na condição de centro de treinamento de recursos humanos, pode até satisfazer o ego da classe média e alta em termos de acesso a diploma, mas pratica a subalternidade do conhecimento meramente copiado. Transmitir conhecimento é fundamental para a sociedade e a economia, mas não passa de insumo. E mais: para fazer somente isto, não necessitamos de universidade, porque o uso inteligente dos meios modernos de comunicação a substitui com ampla vantagem. Insubstituível seria, se fosse o lugar privilegiado da construção do conhecimento e referência inequívoca da aprendizagem reconstrutiva política, o fator decisivo da oportunidade de desenvolvimento. A ligação com o mercado é necessária, por certo, mas instrumental. Sua referência central sempre será a cidadania, ou, o espectro das necessidades e potencialidades humanas da sociedade.

Texto completo: qualidade e pesquisa na universidade pedro demo


Fonte: http://www.facec.edu.br/seer/index.php/docenciaepesquisaemadministracao/article/viewPDFInterstitial/11/25

A pesquisa como prática educativa – Parte 1

ENTRE O REAL E O VIRTUAL: A EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA (EAD) COMO ESPAÇO PARA O EDUCAR (APRENDER E ENSINAR) PELA PESQUISA.
Leociléa Aparecida Vieira Vieira.

O estudo que ora se apresenta, insere-se na linha de pesquisa: Novas Tecnologias em Educação, do Programa de Doutorado em Educação: Currículo da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. A pesquisa teve como objetivos: a) identificar as facilidades e as dificuldades encontradas pelos professores-alunos dos cursos de pós-graduação em “Tecnologias e Educação a Distância” e “EaD e as Novas Tecnologias”, na realização de suas pesquisas nos ambientes virtuais de aprendizagem; b) analisar os princípios norteadores de práticas pedagógicas articuladas ao processo de construção do conhecimento e a maneira como a disciplina de Metodologia da Pesquisa Científica contribui para a formação do “aluno pesquisador” enquanto produtor de conhecimento. O marco conceitual introdutório foi estruturado ao se fazer o entrelaçamento entre tecnologia e currículo, enquanto a revisão da literatura discorreu sobre a história do conhecimento; a pesquisa como princípio educativo e como princípio científico. A investigação que se caracteriza pelo estudo de caso possibilitou que emergissem as categorias de análise “educar e aprender pela pesquisa” e a “autonomia” na concepção freireana. Para a interpretação dos instrumentos de coleta, utilizou-se da análise do conteúdo na fala dos vinte e um professores-alunos e oito professores da disciplina de Metodologia da Pesquisa Científica e Orientação de Trabalhos de Conclusão de Curso, a fim de entender os enfrentamentos e os desafios virtuais e reais dos sujeitos da pesquisa. Durante o desenvolvimento desta, observou-se que algumas barreiras precisam ser superadas, tanto por parte dos discentes quanto dos docentes, entre elas: a) plágios; b) deficiência na leitura; c) entendimento de que pesquisar se distancia das teclas do copiar e colar; d) ausência da cultura de que o aluno aprende, quer seja no virtual ou real; e) resistência ao novo; f) dialogicidade na escrita do material didático; g) a própria distância virtual que não permite o focar “olho no olho” de quem aprende e de quem ensina. Ao finalizar o presente estudo, procurou-se mostrar que o educar e aprender pela pesquisa, especialmente na EaD, deve propiciar ao aluno, sujeito da aprendizagem, o desenvolvimento de sua autonomia sustentada em uma proposta educativa que permita a leitura crítica do mundo, visando um fazer social e político, que conduza educandos e educadores à liberdade.

Disponível em:  http://www.pucsp.br/gepi/downloads/RESUMO_DISSERTACOES_GEPI/2011_TESE_LEOCILEA.pdf

A produção dos capítulos do TCC – Parte 1

O PLÁGIO, A CÓPIA E A INTERTEXTUALIDADE NA PRODUÇÃO ACADÊMICA
Ivy Judensnaider

A ocorrência cada vez mais frequente do plágio nos trabalhos discentes enseja a discussão sobre a sua prática, em especial quando resultante da falta de compreensão sobre o real significado do caráter intertextual da produção acadêmica. Na investigação sobre os possíveis diálogos entre as várias camadas do texto cientifico, esse artigo procura estabelecer distância entre eles e a prática do plágio ou da cópia, assim o fazendo por meio da análise
da construção de sentido a partir da leitura e da escrita como exercício da leitura de mundo e do processo dialógico entre discursos e sujeitos.

Texto completo: 14244-58533-2-pb


Fonte: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/14244

A pesquisa em três dimensões – Parte 2

POSSÍVEIS SIGNIFICADOS DA PESQUISA NA PRÁTICA DOCENTE: IDÉIAS PARA FOMENTAR O DEBATE
Júlio Emílio Diniz Pereira
Mitsi Pinheiro de Lacerda

Com o propósito de fomentar o debate em universidades e escolas brasileiras, abordaremos, neste artigo, possíveis significados da pesquisa na prática docente. Trazemos para a discussão perguntas, tais como: quais os possíveis significados da pesquisa na prática docente? Quais as dificuldades e os desafios, em nosso país, para a realização da investigação na escola pelos próprios profissionais que lá trabalham? Qual a relevância desse tipo de pesquisa para a introdução de inovações no currículo escolar e para a formação docente? Ainda em termos da formação, não seria o enfoque na pesquisa mais uma escolha arbitrária que estaria negando outras possibilidades formativas também relevantes?

Texto completo: v30n109a15


Fonte: http://www.scielo.br/pdf/es/v30n109/v30n109a15.pdf

A pesquisa em três dimensões – Parte 1

O PROFESSOR COMO PROFISSIONAL REFLEXIVO
Dinéia Hypolitto

Quanto às práticas de formação de professores, a tendência investigativa mais recente é a que concebe o ensino
como atividade reflexiva. Esse conceito perpassa a formação de professores como também o currículo, o ensino e a metodologia da docência. A idéia é a de que o professor possa desenvolver a sua capacidade reflexiva sobre sua própria prática. Segundo Zeichener (1993), tal capacidade implicaria, por parte do professor, uma inter-racionalidade e uma reflexão sobre seu trabalho.

Texto completo: 204_18


Fonte: http://www.usjt.br/proex/arquivos/produtos_academicos/204_18.pdf

Mecanismos de busca – Parte 4

A PRÁTICA DE DIÁLOGO EM PAULO FREIRE NA EDUCAÇÃO ON-LINE UMA PESQUISA BIBLIOGRÁFICA DIGITAL: APROXIMAÇÕES
Angélica Santos Ramacciotti

Este estudo busca investigar o diálogo na construção do conhecimento em programas de graduação e pós-graduação na modalidade a distância no Brasil. Para alcançar o objetivo proposto, optou-se por uma abordagem qualitativa com perspectiva dialética na realização de uma pesquisa bibliográfica digital. Mediante um processo de busca criterioso de artigos científicos publicados em periódicos online de acesso aberto entre 2005 e 2009, foram analisadas oito produções acadêmicas. A organização sistemática das informações foi elaborada com base no referencial teórico de Paulo Freire, a partir dos conceitos: “saber escutar”, “criticidade”, “tolerância”, “respeito ao conhecimento do educando”, “curiosidade epistemológica”, “construção coletiva do conhecimento” e “emancipação”. A interpretação e a análise dos resultados demonstram que a produção científica sobre as práticas dialógicas referenciadas em Paulo Freire na educação on-line vem se consolidando no cenário acadêmico nacional. Observa-se que a dimensão colaborativa, advinda da multiplicidade de intercâmbios na educação on-line, evidencia propostas pedagógicas pautadas no diálogo para a construção coletiva do conhecimento. Assim, são abertos novos caminhos em direção a currículos emancipatórios.

Texto completo: angelica santos ramacciotti


Fonte: https://sapientia.pucsp.br/handle/handle/10215


Em tempo: apesar de pessoalmente considerar a pedagogia freireana ruim, o trabalho em escopo pode ser observado metalingüísticamente, ou seja, podemos analisar como um estudioso da vertente de Paulo Freire elabora uma pesquisa sistemática sobre o tema escolhido. Essa sistematização pode ser aplicada em diversos outros campos de conhecimento.

Mecanismos de busca – Parte 3

A seguir, os principais mecanismos de busca públicos para referenciar e publicar trabalhos.

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações do Ministério da Ciência e Tecnologia
http://bdtd.ibict.br/

Plataforma Lattes
http://lattes.cnpq.br/

Portal Brasileiro de Acesso Aberto à Informação Científica
http://oasisbr.ibict.br/

Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas
http://seer.ibict.br/

Solicitação do conhecimento – Parte 6

Outro caso é o de trabalhos que são publicados em conjunto em anais. A seguir, endereço de um desses exemplos.

Exemplos de trabalhos completos publicados em anais
Congresso Internacional PLB2010
http://each.uspnet.usp.br/pbl2010/trabs/index_trabs_pt.htm

 

EM TEMPO: o atalho acima cai numa página com CENTENAS de trabalhos (PTBR, ENG, ESP) ligados à PBL. Um repositório interessante para quem faz pesquisas acerca desse assunto.

Solicitação do conhecimento – Parte 5

Regras para apresentação em pôster.

Por vezes, alguns cursos exigem que os trabalhos de conclusão de curso sejam apresentados ao público. Nestes casos, muitas vezes utilizam-se pôsteres para tanto. A seguir, um exemplo de regras exigidas neste tipo de trabalho. (Dependendo de seu curso, as regras podem ser diferentes.)

http://www.sbpcnet.org.br/recife/resumo/poster.php

Solicitação do conhecimento – Parte 4

Seminário de introdução ao uso das redes sociais na comunicação científica
Material corporativo da Scielo