Plandemic

Editado em 21/05/2020: acrescentada imagem.

Editado em 27/03/2021: acrescentada imagem.

Embora o pseudo-documentário seja completamente tendencioso, chamaram-me a atenção os argumentos contrários à vacina (considero a vacina antigripal inútil), à quarentena (demonstrou-se um fracasso em muitos lugares) e à indústria farmacêutica, sobre cujo lobby discorri em Sentimentos mais duradouros.

Considerando que o Facebook removeu por duas vezes esta postagem naquele veículo, decidi colocar em meu espaço privado. A simples idéia de outrem decidindo aquilo que posso ou não visualizar é, por si, uma afronta à liberdade de expressão.

https://www.brighteon.com/embed/86725727-5cb8-4240-b725-1b5b67e01189


Gostaria também de deixar aqui o registro de que o Facebook agiu de forma não compatível com outras matérias:

1 – O Facebook tão somente cobre outras postagens ditas falsas. Qual é a necessidade de excluir esta?

2 – Já denunciei conteúdo impróprio exibido no Facebook, que foi revisado manualmente por tal empresa e foi aceito, a saber: violência contra animais.

3 – Se há interesse real em evitar conteúdo cientificamente falso ou dúbio, por que há grupos de terra plana, terra oca, anti-vacina, caça-fantasmas, pé-grande e congêneres?

Contra hipocrisia, minha arma é o sarcasmo:


27/03/2021

Estou consideravelmente aborrecido com as redes sociais e sua pretensa postura de querer dizer o que é verdade e o que é mentira. E com a audácia de querer controlar o que eu publico. Se não temos liberdade de publicar, então por que há redes sociais? Por acaso vão controlar nossos telefonemas para saber o que falamos ou não? É a mesma coisa aos meus olhos.

Estão sempre derrubando minhas postagens. Ao menos, por enquanto, minha página privada não tem como ser derrubada.

Tem de tudo nessas redes. Tem pornografia explícita no Youtube, tem violência brutal no Facebook, tem conteúdo criminoso no Twitter. Mas reclamar de certas coisas não pode. Meu problema é com quem define essas ”certas”…