Práticas presenciais no ensino superior: material complementar – Parte 1

APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA, ORGANIZADORES PRÉVIOS, MAPAS CONCEITUAIS, DIAGRAMAS V E UNIDADES DE ENSINO POTENCIALMENTE SIGNIFICATIVAS
Marco Antonio Moreira

É feita uma descrição detalhada da teoria da aprendizagem significativa na visão clássica de David Ausubel, segundo a leitura, ou releitura, do autor. A teoria não é apresentada como nova, mas sim como atual. Argumenta-se que houve uma apropriação superficial, polissêmica, do conceito de aprendizagem significativa, de modo que qualquer estratégia de ensino passou a ter a aprendizagem significativa como objetivo. No entanto, na prática a maioria dessas estratégias, ou a escola de um modo geral, continuam promovendo muito mais a aprendizagem mecânica, puramente memorística, do que a significativa. Por isso, o texto procura esclarecer o que é, afinal, aprendizagem significativa. Isso é feito abordando recursivamente esse conceito ao longo do texto de modo a promover a diferenciação progressiva do mesmo.

Disponível em: http://www.faatensino.com.br/wp-content/uploads/2014/04/Aprendizagem-significativa-
Organizadores-pr%C3%A9vios-Diagramas-V-Unidades-de-ensino-potencialmente-significativas.pdf

Anúncios

A tempestade de idéias (brainstorming) e o mapa conceitual – Parte 3

TÉCNICAS PARA PRODUZIR IDÉIAS
Ou coisas para pensar sobre como podermos pensar com foco
Luiz Oliveira Junior

Apresentação disponível em: http://pt.slideshare.net/luizojr/aula4-12728942

Vídeos da apresentação:

A tempestade de idéias (brainstorming) e o mapa conceitual – Parte 1

APLICANDO BRAINSTORMING COM APOIO DE FERRAMENTA COMPUTACIONAL
Claudia Simões Pinto

Nesse artigo é apresentada a técnica de Brainstorming com suporte de ferramenta computacional. O objetivo é identificar o maior número de ferramentas de comunicação e colaboração que possam vir a ser implementados em um sistema colaborativo. A contextualização da técnica e da dinâmica serviu de base para a estruturação do estudo de caso. Os resultados obtidos, na sessão de Brainstorming e na análise dos questionários, indicam a necessidade de melhorias na ferramenta computacional utilizada.

Disponível em: http://docplayer.com.br/19981214-Aplicando-brainstorming-com-apoio-de-ferramenta-computacional.html

Técnicas lúdicas e projetivas – Parte 2

Portal Educação

A empresa e o portal Planneta Educação fazem parte da Vitae Brasil, grupo formado por outras marcas e que atua nos segmentos de educação, meio ambiente e saúde.

O portal Planneta Educação é uma plataforma moderna e interativa que já se tornou referência entre educadores e gestores. Aqui nós reunimos conteúdos relevantes para que você que também é apaixonado pela educação possa se inspirar e contagiar aqueles que te cercam.

Acesso em: http://www.planetaeducacao.com.br/portal/videos.asp

A aula expositiva dialogada e os estudos de texto – Parte 2

AULA EXPOSITIVA: SUPERANDO O TRADICIONAL
Antonia Osima Lopes
Na execução do trabalho didático, o professor está sempre se deparando com a necessidade de definir as técnicas que irá utilizar para desenvolver os conteúdos de seu programa de ensino. Essa tarefa inerente ao trabalho docente que é comum em todos os graus de ensino.
O professor criativo, de espírito transformador, está sempre buscando inovar sua prática e um dos caminhos para tal fim seria dinamizar as atividades desenvolvidas em sala de aula. Uma alternativa para a dinamização seria a variação das técnicas de ensino utilizadas; outra seria a introdução de inovações nas técnicas já amplamente conhecidas e empregadas.
Analisando as tendências pedagógicas presentes na educação brasileira, verifica-se que a aula expositiva se contrapõe a uma variedade de modernas técnicas de ensino.Assim sendo, seria válido questionar se essa atividade ainda poderia ser considerada uma técnica de ensino capaz de produzir uma aprendizagem duradoura por parte dos alunos.
Seria também oportuno questionar por que, a despeito de tantas falhas apontadas, a aula expositiva nunca tenha sido relegada na prática pedagógica em nossas escolas.
Disponível em: http://gerson.luqueta.com.br/index_arquivos/AulaExpositiva.pdf

Planejamento e Projeto Político Pedagógico – Parte 8

Centro de Estudos de Avaliação Educacional da UFRJ

O Centro de Estudos de Avaliação Educacional da UFRJ tem por objetivo realizar atividades nas áreas de pesquisa e de assessoria e capacitação no campo da avaliação educacional e de áreas correlatas, bem como a oferta de cursos de pós-graduação. Assim, o CEAE atua preocupado com a formação de recursos humanos especializados e com a disseminação e utilização de conhecimentos pelos sistemas educacionais. As instalações do CEAE foram financiadas pela CAPES no âmbito do PROAV – Programa de Apoio à Avaliação Educacional, e seus recursos são provenientes da Fundação Ford e da Fundação Universitária José Bonifácio.

http://www.race.nuca.ie.ufrj.br/ceae/

Dentro dessa página, constam muitos módulos de estudo na área “Assessoria e Capacitação“:

  • Capacitação de Diretores de Escola
  • Capacitação em Projeto Pedagógico
  • Capacitação de Secretários de Escola
  • Capacitação em Gestão Colegiada
  • Capacitação em Gestão de Pessoal
  • Capacitação em Gestão Financeira
  • Capacitação em Gestão de Contratos
  • Capacitação em Sistemas de Informação

O conteúdo é muito bom e vale a pena baixar.

Os níveis de planejamento – Parte 5

Especialista comenta alteração dos investimentos do Plano Nacional de Educação
http://podcast.unesp.br/radiorelease-14122011-especialista-comenta-alteracao-dos-investimentos-do-plano-nacional-de-educacao

Os níveis de planejamento – Parte 4

Mais uma postagem crítica  comparando o que foi planejado com o que foi efetivamente entregue.

A seguir, documento oficial parametrizando as expectativas da gestão da educação básica em nosso país em 2008. Hoje, uma década após, ler tal documento é constatar a mais absoluta dissonância entre o que é almejado e o que é feito. Sinto como se tais grupos políticos se ocupassem tão somente em elaborar a ”agenda” tal como a chamam, mas não em executá-la.


Conferência Nacional de Educação Básica – Documento final
Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/conferencia/documentos/doc_final.pdf

Os níveis de planejamento – Parte 2

Plano Nacional de educação trará benefícios a médio prazo, acredita especialista em educação da Unesp

http://podcast.unesp.br/radiorelease-17102012-plano-nacional-de-educacao-trara-beneficios-a-medio-prazo-acredita-especialista-em-educacao-da-unesp

Mecanismos de busca – Parte 3

A seguir, os principais mecanismos de busca públicos para referenciar e publicar trabalhos.

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações do Ministério da Ciência e Tecnologia
http://bdtd.ibict.br/

Plataforma Lattes
http://lattes.cnpq.br/

Portal Brasileiro de Acesso Aberto à Informação Científica
http://oasisbr.ibict.br/

Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas
http://seer.ibict.br/