Planejamento e Projeto Político Pedagógico – Parte 8

Centro de Estudos de Avaliação Educacional da UFRJ

O Centro de Estudos de Avaliação Educacional da UFRJ tem por objetivo realizar atividades nas áreas de pesquisa e de assessoria e capacitação no campo da avaliação educacional e de áreas correlatas, bem como a oferta de cursos de pós-graduação. Assim, o CEAE atua preocupado com a formação de recursos humanos especializados e com a disseminação e utilização de conhecimentos pelos sistemas educacionais. As instalações do CEAE foram financiadas pela CAPES no âmbito do PROAV – Programa de Apoio à Avaliação Educacional, e seus recursos são provenientes da Fundação Ford e da Fundação Universitária José Bonifácio.

http://www.race.nuca.ie.ufrj.br/ceae/

Dentro dessa página, constam muitos módulos de estudo na área “Assessoria e Capacitação“:

  • Capacitação de Diretores de Escola
  • Capacitação em Projeto Pedagógico
  • Capacitação de Secretários de Escola
  • Capacitação em Gestão Colegiada
  • Capacitação em Gestão de Pessoal
  • Capacitação em Gestão Financeira
  • Capacitação em Gestão de Contratos
  • Capacitação em Sistemas de Informação

O conteúdo é muito bom e vale a pena baixar.

Anúncios

Os níveis de planejamento – Parte 5

Especialista comenta alteração dos investimentos do Plano Nacional de Educação
http://podcast.unesp.br/radiorelease-14122011-especialista-comenta-alteracao-dos-investimentos-do-plano-nacional-de-educacao

Os níveis de planejamento – Parte 4

Mais uma postagem crítica  comparando o que foi planejado com o que foi efetivamente entregue.

A seguir, documento oficial parametrizando as expectativas da gestão da educação básica em nosso país em 2008. Hoje, uma década após, ler tal documento é constatar a mais absoluta dissonância entre o que é almejado e o que é feito. Sinto como se tais grupos políticos se ocupassem tão somente em elaborar a ”agenda” tal como a chamam, mas não em executá-la.


Conferência Nacional de Educação Básica – Documento final
Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/conferencia/documentos/doc_final.pdf

Os níveis de planejamento – Parte 2

Plano Nacional de educação trará benefícios a médio prazo, acredita especialista em educação da Unesp

http://podcast.unesp.br/radiorelease-17102012-plano-nacional-de-educacao-trara-beneficios-a-medio-prazo-acredita-especialista-em-educacao-da-unesp

Mecanismos de busca – Parte 3

A seguir, os principais mecanismos de busca públicos para referenciar e publicar trabalhos.

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações do Ministério da Ciência e Tecnologia
http://bdtd.ibict.br/

Plataforma Lattes
http://lattes.cnpq.br/

Portal Brasileiro de Acesso Aberto à Informação Científica
http://oasisbr.ibict.br/

Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas
http://seer.ibict.br/

Solicitação do conhecimento – Parte 6

Outro caso é o de trabalhos que são publicados em conjunto em anais. A seguir, endereço de um desses exemplos.

Exemplos de trabalhos completos publicados em anais
Congresso Internacional PLB2010
http://each.uspnet.usp.br/pbl2010/trabs/index_trabs_pt.htm

 

EM TEMPO: o atalho acima cai numa página com CENTENAS de trabalhos (PTBR, ENG, ESP) ligados à PBL. Um repositório interessante para quem faz pesquisas acerca desse assunto.

Solicitação do conhecimento – Parte 5

Regras para apresentação em pôster.

Por vezes, alguns cursos exigem que os trabalhos de conclusão de curso sejam apresentados ao público. Nestes casos, muitas vezes utilizam-se pôsteres para tanto. A seguir, um exemplo de regras exigidas neste tipo de trabalho. (Dependendo de seu curso, as regras podem ser diferentes.)

http://www.sbpcnet.org.br/recife/resumo/poster.php

Processos de avaliação: material complementar – Parte 11

Alfabetização Midiática e Informacional: currículo para formação de professores

Estas páginas contêm informações relevantes para a formação de professores. Sugiro adicioná-las às suas fontes de referências.

http://www.unesco.org/new/en/communication-and-information
http://www.unesco.org/new/en/education/themes/
http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/single-view/news/media_information_literacy_curriculum_for_teachers_in_

Ver também:
http://www.nmc.org

https://www.educause.edu/

http://www.cgi.br

Processos de avaliação: material complementar – Parte 9

TIC KIDS ONLINE BRASIL 2012
Pesquisa sobre o Uso da Internet por Crianças e Adolescentes no Brasil
COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL – CGI.br

A rapidez com a qual crianças e jovens estão obtendo acesso a tecnologias virtuais, convergentes, móveis e interconectadas não encontra precedentes na história da inovação e difusão tecnológica. Essas mudanças apresentam aos pais, aos professores e às crianças o importante desafio de adquirir, aprender a usar e definir objetivos para o uso da Internet em suas vidas diárias.
Os benefícios são encontrados em relação à aprendizagem, à participação, à criatividade e à comunicação. As oportunidades do mundo on-line também constituem o foco de uma parte considerável das atividades desenvolvidas pelos setores público e privado, por meio de diversos e ambiciosos esforços em andamento em muitos países para a promoção de tecnologias digitais de aprendizagem nas escolas, iniciativas de governança eletrônica, bem como de participação e alfabetização digitais.
Junto a esses benefícios, o acesso à Internet tem potencializado a exposição de uma ampla gama de riscos on-line, alguns dos quais são comuns no mundo off-line (tais como o bullying, a pornografia e a exploração sexual), enquanto outros são novos ou pelo menos têm sido substancialmente reconfigurados na vida das crianças comuns (tais como o aliciamento de crianças, a violação de dados pessoais e da privacidade, o rastreamento da localização geográfica, as formas indesejadas de envio de mensagens sexuais e de assédio sexual, além da facilitação de casos de automutilação).
A rápida difusão da Internet e de outras tecnologias on-line coloca diante dos formuladores de políticas públicas, dos governos e do setor produtivo a importante tarefa de identificar os riscos associados ao uso da Internet. Eles também devem desenvolver estratégias e ferramentas para garantir que os danos associados a tais riscos sejam minimizados. Nos últimos anos, crianças e adolescentes tiveram acesso à Internet primeiramente por meio de conexões discadas, depois por meio da banda larga e das redes móveis – em casa, na escola e outros lugares –, o
que resultou na aquisição de novas habilidades e competências.
A rede EU Kids Online agora conta com 150 pesquisadores em 33 países da Europa. Ela produz e divulga dados concretos capazes de fornecer uma base sólida para iniciativas relacionadas às políticas públicas, à educação e à conscientização em âmbito nacional, regional e internacional.
Tem sido um grande prazer colaborar com o Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e Comunicação (Cetic.br) em prol da realização de uma pesquisa paralela no Brasil. Os resultados são fascinantes e relevantes. Esperamos que sejam amplamente utilizados
para ajudar a melhorar o uso da Internet por crianças e adolescentes no Brasil.

Sonia Livingstone
Diretora da rede EU Kids Online e professora no Departamento de Mídia e Comunicação da London School of Economics and Political Science

Disponível em: http://www.cetic.br/publicacoes/2012/tic-kids-online-2012.pdf 


Fonte: n/a

Processos de avaliação: material complementar – Parte 7

FORTALECENDO COMPETÊNCIAS
Formação continuada para o Programa Abrindo Espaços: educação e cultura para a paz
Organização e redação final: Marlova Jovchelovitch Noleto
Redação e edição: Gabriela Athias
Colaboradores: Cristina Cordeiro, Helena Povere, Lia Diskin, Candido Gomes, Marisa Sari,
Julio Jacobo, Regina Vassimon, Anailde Almeida, Leoberto N. Brancher e Rita Ippolito
Revisão técnica: Marlova Jovchelovitch Noleto, Rosana Sperandio Pereira, Alessandra Terra
Magagnin e Candido Gomes
Revisão: Rejane Lobo e Jeanne Sawaya
Diagramação: Rodrigo Domingues
Capa e projeto gráfico: Edson Fogaça

A multiplicação da cultura de paz

No ano em que o Programa Abrindo Espaços: educação e cultura para a paz completa oito anos, a Representação da UNESCO no Brasil tem a oportunidade de lançar uma coleção de sete publicações para sistematizar uma iniciativa de inclusão social e redução de violência com foco na
escola, no jovem e na comunidade.
O Programa Abrindo Espaços consiste na abertura das escolas públicas nos fins de semana, com oferta de atividades de esporte, lazer, cultura, inclusão digital e preparação inicial para o mundo do trabalho. Ao contribuir para romper o isolamento institucional da escola e fazê-la ocupar papel central na articulação da comunidade, o programa materializa um dos fundamentos da cultura de paz: estimular a convivência entre grupos diferentes e favorecer a resolução de conflitos pela via da negociação.
A UNESCO agradece à Fundação Vale pela parceria que lhe possibilita publicar esta coleção, uma ferramenta de multiplicação de um programa que já é política pública e está presente em escolas dos 26 estados da federação e do Distrito Federal. O objetivo das publicações é compartilhar com a sociedade o conhecimento e a experiência acumulados pela UNESCO na gestão do Programa Abrindo Espaços, que tem como uma de suas
missões agregar valor a iniciativas focadas na construção e na multiplicação da cultura de paz.

Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0017/001785/178535por.pdf


Fonte: n/a