O aluno virtual – Parte 1

O PERFIL DO ALUNO VIRTUAL E AS TEORIAS DE ESTILOS DE APRENDIZAGEM
Ivana Maria Schnitman

Um dos grandes desafios que os educadores enfrentam quando planejam e ministram suas aulas, sejam presenciais ou à distância, é o de explorar ao máximo o potencial do meio, atendendo ao mesmo tempo ao maior número de alunos possível, sem, no entanto, deixar de considerar as diferenças individuais dos envolvidos. O artigo em questão se propõe a discutir a contribuição das teorias de estilos de aprendizagem no mapeamento das diferenças individuais dos alunos da Educação Online.

Texto completo: Ivana-Maria-Schnitman


Fonte: http://nehte.com.br/simposio/anais/Anais-Hipertexto-2010/Ivana-Maria-Schnitman.pdf

Anúncios

A prática docente e a mediação pedagógica na EAD – Parte 1

A PRÁTICA DOCENTE EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O USO DO MODELO METODOLÓGICO DOS TRÊS MOMENTOS PEDAGÓGICOS
Amanda Bifano Balbinot
Ana Marli Bulegon
Elaine Harada Teixeira de Oliveira
Patricia Alejandra Behar
Vera Catarina Castiglia Portella

Este artigo apresenta a metodologia utilizada num trabalho desenvolvido em uma disciplina de um curso de pós-graduação. O trabalho consiste na implementação de um Objeto de Aprendizagem (OA), cujo tema decorre da discussão entre o papel do professor virtual e do professor presencial. O OA, tinha como objetivo apresentar uma reflexão sobre o papel do professor nessa mudança de paradigma e estava estruturado segundo o modelo metodológico dos Três Momentos Pedagógicos (TMP). Esse modelo metodológico permitiu verificar o conhecimento prévio dos alunos sobre o tema, desenvolver as discussões da oficina através dessa verificação e aplicá-lo através de reflexão. Verificou-se que houve amadurecimento das concepções que se tinha antes e ao final da oficina.

Texto completo: 18108-64575-1-PB


Fonte: http://seer.ufrgs.br/renote/article/viewFile/18108/10680

Estratégias didáticas na EAD – parte 1

PRÁTICAS DE ENSINAR A DISTÂNCIA MEDIADAS POR AMBIENTE VIRTUAL
Guaracira Gouvêa

Atualmente, a existência de discursos expressos nas leis educacionais e em parte da produção acadêmica contemporânea, colocando as tecnologias como relevantes e necessárias aos processos educacionais, exige, antes de qualquer filiação, um exame crítico das questões que envolvem as relações que se estabelecem entre sujeitos em práticas educativas nas quais as tecnologias de informação e comunicação (TICs) se fazem presentes. No caso deste estudo, estou interessada em discutir como os professores conduzem sua prática quando propõem situações didáticas mediadas por uma plataforma, em um contexto de disciplinas de um curso presencial, ministradas parcialmente a distância. Para tal, optei por estudar a implantação de módulos baseados em EaD em disciplinas de curso de graduação em Pedagogia de uma universidade pública e realizar acompanhamento dos momentos a distância. Neste trabalho, considero como ferramentas metodológicas a observação participante das reuniões de preparação da implantação das disciplinas, as gravações em áudio dessas reuniões; o caderno de registros do professor da disciplina onde todas as ocorrências eram anotadas, inclusive as associadas à plataforma. A análise realizada indica que o ato de elaboração do material didático para ser disponibilizado na plataforma fez surgir questões que envolvem a escolha da plataforma e dos procedimentos didáticos e que estes e o desenho da plataforma descaracterizaram o uso dos meios digitais, pois os parâmetros espaços-temporais foram fixados e a linguagem multimídia e formas de comunicação diferenciadas não foram utilizadas.

Texto completo: 491-1766-2-PB


Fonte: http://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/viewFile/491/398

Didática na educação à distância – Parte 1

NOVAS QUESTÕES QUE A EDUCAÇÃO ON-LINE TRAZ PARA A DIDÁTICA
José Moran

A Internet e as tecnologias conectadas nos trazem questões pedagógicas específicas com desafios novos para a educação a distância e para a presencial. Existe hoje no Brasil uma grande variedade de cursos on-line: cursos para poucos e para muitos alunos, cursos com pouca interação e com muita interação, cursos centrados no professor e cursos centrados nos alunos; cursos que utilizam uma tecnologia (Internet, videoconferência, teleconferência) e outros que integram várias tecnologias. Para cursos com grandes grupos, o processo de organização do ensino-aprendizagem on-line é muito mais complexo do que o que realizamos no presencial, exigindo uma logística nova, que está sendo testada com mídias telemáticas pela primeira vez. Os papéis do professor se multiplicam, diferenciam e complementam, exigindo uma grande capacidade de adaptação, de criatividade diante de novas situações, propostas, atividades.

Texto completo: questoes


Fonte: http://www.eca.usp.br/prof/moran/site/textos/educacao_online/questoes.pdf