Políticas públicas nacionais no Ensino Superior e PDI – Parte 5

O ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO: NOVAS CONFIGURAÇÕES E VELHOS DESAFIOS
Antônio Joaquim Severino

O trabalho apresenta, de uma perspectiva filosófico-educacional, uma análise e reflexão sobre a situação atual do ensino superior público no Brasil, mostrando não só o amplo e contínuo processo, conduzido pelo Estado, de sua reconfiguração organizacional e administrativa mas também a ambígua política educacional que subjaz a esse processo. Para tanto, retoma as formulações legais e descreve algumas iniciativas governamentais que vêm buscando implementar uma permanente reforma universitária com vistas à adequação do ensino superior nacional às consígnias do modelo societário capitalista neoliberal, implementado pela elite brasileira, neste quadrante da história do país. Explicita-se então o dilema fundamental vivido pela sociedade brasileira, representado pelo confronto entre uma educação baseada na teoria do capital humano e uma educação inspirada na teoria da emancipação humana. A educação superior pública é atingida em cheio por essa intencionalidade ideológica, levando-se em conta sua importância no processo de construção da vida social, seja no âmbito do trabalho, da sociabilidade e da cultura, o que torna ainda mais difícil a construção, pelas universidades públicas, de seu projeto político-educacional, tarefa a que se entregam numa postura de luta contra-ideológica.

Texto completo: n31a06


Fonte: http://www.scielo.br/pdf/er/n31/n31a06

Políticas públicas nacionais no Ensino Superior e PDI – Parte 4

Indicadores de instituições e cursos da Educação Superior no Brasil

Acesso: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17246

Políticas públicas nacionais no Ensino Superior e PDI – Parte 3

Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Filosofia, História, Geografia, Serviço Social, Comunicação Social, Ciências Sociais, Letras, Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia

Texto completo: CES0492


Fonte: http://portal.mec.gov.br/mais-educacao/323-secretarias-112877938/orgaos-vinculados-82187207/12991-diretrizes-curriculares-cursos-de-graduacao

Políticas públicas nacionais no Ensino Superior e PDI – Parte 2

BRASIL: O ENSINO SUPERIOR ÀS PRIMEIRAS UNIVERSIDADES
Colônia – Império – Primeira República
Tânia Regina Broeitti Mendonça

Os espanhóis fundaram universidades em seus territórios na América desde o século XVI. No Brasil, só teve início a criação de instituições de ensino superior a partir dos meados do século XIX. Só no próximo século, em 1920 é que foi criada a Universidade no Brasil.

Em relação aos espanhóis, os portugueses tomaram atitudes diferentes no que se refere à implantação das universidades no Brasil e em terras colonizadas por eles. Encontramos em estudos realizados fatores de relevância que contribuíram para o lento avanço das universidades, desde o período da Colônia até a Primeira República. Demonstrando dentro das questões de ordem política-religiosa, a preocupação de estabelecer um ensino que atendesse aos interesses da elite colonial portuguesa, filhos de portugueses nascidos no Brasil.

Texto completo:pedu07


Fonte: http://cac-php.unioeste.br/projetos/gpps/midia/seminario2/poster/educacao/pedu07.pdf

Políticas públicas nacionais no Ensino Superior e PDI – Parte 1

HISTÓRIA DO ENSINO SUPERIOR

“O real significado do termo “Ensino Superior” vai muito além do de ensino de terceiro grau, como ficou popularizado principalmente após as reformas das décadas de 60 e 70. O saber superior deve ser adquirido mediante o uso de codificações, sistemas, modelos e símbolos da semântica científica e, por isso, foge à praticidade do dia-a-dia e se reserva aos que disponham de condições especiais para abordá-lo. Por isso, como muitos querem, não pode ser democraticamente acessível a todos. É um ensino, por natureza, elitista, para uma minoria capacitada intelectual e culturalmente e não no sentido trivial de pessoas sócio-economicamente bem postas na comunidade.”

(Estrutura e Funcionamento do Ensino Superior Brasileiro – Paulo Nathanael P. Souza)

Texto completo: CES0492


Fonte: Universia, 2008.

Currículo no Ensino Superior e diretrizes curriculares nacionais – Parte 2

O CURRÍCULO NO ENSINO SUPERIOR
Princípios epistemológicos para um design contemporâneo

GESSER, Veronica
Pedagoga, Mestre em Educação pela PUC/SP, Doutora em Educação pela Florida
International University, USA.
Professora e Pesquisadora do PPGE, UNIVALI, SC.

RANGHETTI, Diva Spezia
Pedagoga, Mestre e Doutora em Educação: Currículo pela PUC/SP.
Professora e Pesquisadora da UNERJ.

Este artigo apresenta princípios norteadores para a organização de um design contemporâneo de currículo para o Ensino Superior. Tem como objetivo problematizar os atuais modelos de organização curricular ainda dominante na escola e, em particular, no ensino superior. Que princípios são fundamentais na organização de um design curricular para a contemporaneidade, ou seja, um currículo adequado à formação humana e profissional para atuar numa sociedade em que a complexidade, a incerteza e a individualidade constituem a trama sobre a qual se desenvolve a própria vida? De qualquer modo, indicaremos princípios que tem como foco uma formação como produtora de sentido, tanto no âmbito pessoal quanto
profissional, humano.

Texto completo: 6775-16457-1-SM


Fonte: http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/view/6775

Currículo no Ensino Superior e diretrizes curriculares nacionais – Parte 1

APRENDENDO COM OS ERROS E OS ACERTOS DO PASSADO:
Pontos essenciais para a definição de políticas públicas de educação superior
Simon Schwartzman

Texto completo: Aprendendo com os erros e os acertos


Fonte: www.schwartzman.org.br/simon/2010particular.pdf

Paradigmas da Educação Superior do século XXI no Brasil – Parte 8

PLANO NACIONAL DE METAS DA EDUCAÇÃO

Texto completo: plano-nacional-de-educacao-20 Metas


Fonte: IBGE, 2010

Paradigmas da Educação Superior do século XXI no Brasil – Parte 7

EDUCAÇÃO SUPERIOR NO SÉCULO XXI E A REFORMA UNIVERSITÁRIA BRASILEIRA
Arthur Roquete de Macedo, Ligia Maria Vettorato Trevisan, Péricles Trevisan, Caio Sperandeo de Macedo

Tomando como referência a evolução e as características do sistema brasileiro de educação superior discute-se neste artigo os fundamentos de uma efetiva reforma da educação superior. Procura-se mostrar que a adequação desse sistema para o enfrentamento dos desafios da sociedade do conhecimento, em um país como o Brasil, deve necessariamente resolver três questões: a modernização do sistema, o efetivo aprimoramento da qualidade da educação  brasileira em todos os níveis, graus e modalidades e a democratização do ensino promovendo a inclusão social.

Texto completo:  v13n47a02


Fonte: http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v13n47/v13n47a02.pdf

Paradigmas da Educação Superior do século XXI no Brasil – Parte 6

DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR VOLTADA PARA A APRENDIZAGEM FAZ A DIFERENÇA
Marcos T. Masetto
PUC – São Paulo/Mackenzie

A pedagogia universitária na Universidade de São Paulo

É crescente a demanda por inovações pedagógicas em todos os níveis de ensino e a Universidade de São Paulo tem procurado corresponder a essa expectativa da sociedade contemporânea. Orientada por diretrizes que buscam a valorização do ensino de graduação, a Pró-Reitoria de Graduação vem desenvolvendo ações que buscam investir nos professores enquanto sujeitos do trabalho de formação, propiciando espaços para ampliar as possibilidades de sua formação pedagógica.

A realização do ciclo “Seminários de Pedagogia Universitária” é parte de uma política institucional voltada para a melhora qualitativa do ensino e para o desenvolvimento profissional docente. Os seminários são acompanhados dos “Cadernos de Pedagogia Universitária” , que trazem a publicação de textos orientadores das abordagens desenvolvidas por profissionais brasileiros e estrangeiros, de grande presença no campo das pesquisas e da produção de conhecimentos a respeito da docência universitária.

Com essas iniciativas a Pró-Reitoria de Graduação disponibiliza aos professores da Universidade de São Paulo a discussão dos múltiplos aspectos políticos, teóricos e metodológicos orientadores da docência, bem como das condições que permeiam a sua realização, com a esperança de contribuir com a necessária mudança paradigmática do ensino universitário.

Texto completo: Caderno_12_PAE docência no ensino superior Marcos T Masetto(1)


Fonte: http://www.prpg.usp.br/attachments/article/640/Caderno_12_PAE.pdf