200 milhões de babacas

1 criminoso
11 comparsas
40 milhões na manada
200 milhões de babacas

Babaca: adjetivo e substantivo de dois gêneros (por que só existem dois); diz-se do indivíduo que, por inocência ou ingenuidade, deixa-se enganar.

Um ano se passou desde as eleições. A festa acabou: os convivas foram embora, e do convescote sobraram as migalhas do pão que o diabo amassou. A população acreditou que apenas votando as coisas mudariam para melhor, que o novo presidente resolveria tudo por elas. Como escrevi, o esporte nacional é o jogo da batata quente: joga-se o problema nas mãos de outrem para que o resolva. Os convivas foram embora: as grandiosas manifestações pró-Bolsonaro e pró-Brasil tornaram-se pífias hashtags #tamojunto. E o anfitrião se vê só no Planalto.

As migalhas que ora devoramos são o que sobrou do sonho de ver ainda nesta encarnação um Brasil melhor. Jogamos um presidente no covil das feras, deixamo-lo sozinho para que resolva os nossos problemas. Sem militância devidamente organizada o resultado não poderia ser outro que ver todas as suas propostas barradas ou anuladas, além de vê-lo tomar algumas atitudes que não fazem sentido.

Conforme disse ano passado, não acreditava que Bolsonaro seria um estadista de altíssimo nível. Meu objetivo ao votar nele foi especificamente tirar o PT do poder. Conseguimos de brinde alguém que não roubasse e que defendesse pautas conservadoras e liberais.

Tiramos os vermelhos do poder central, mas não apoiamos o presidente a enfrentá-los ao seu redor. O Congresso e o Judiciário estão infestados de marxistas com suas pautas deletérias à humanidade. E o “plano B” do chefe da quadrilha se concretizou.

O brasileiro foi ingênuo acreditando que apenas votando tudo se resolveria. Deixou nas mãos de um só a batata assada e jogou-o ao forno ligado. Foi ingênuo acreditando que havia justiça no país dos ladrões.

40 milhões de doutrinados aplaudem o bandido. E ainda vai ter gente dizendo que vivemos numa ditadura…

Somos todos babacas.


Em adendo:

Nem tudo vai mal. Durante os últimos 10 anos só se via e ouvia na mídia escândalos de corrupção. Petrolão, Mensalão, Propinoduto e um sem número de alcunhas que demonstram a criatividade brasileira para nomes chamativos. Desde outubro passado, falou-se de tudo, criticou-se tudo, mas não houve um único escândalo de corrupção. Os escândalos são quanto ao enxugamento do Estado e sua descentralização, bem como as pautas de valores familiares, pró-vida, contra-vagabundo, ordem e progresso — aquela coisa escrita na bandeira…

Coisas boas vêm ocorrendo todos os dias. Muitas mesmo. O país vem avançando a passos largos. Porém a soltura do maior criminoso do país para posar de oprimido é estupefatora. O mais perplexador nisso tudo é o fato de ainda haver quem realmente acredite em PT, PSOL, PSTU, PCdoB, PDT, PQP e CIA. Puxa vida, será que realmente não vêem que estão MENTINDO o tempo todo? Será que não percebem que os marxistas são uma organização criminosa mundial que vende sonhos e rouba vidas? Que se aproveitam dos mais pobres e mais ignorantes para fazê-los sua massa de manobra em sua ânsia pelo poder?

É como uma manada inteira indo alegremente ao próprio abatedouro…