Mensagem nº 342

Aplicável a todos, independentemente de religião, cito:

PALAVRA ESCRITA
“Examinai tudo. Retende o bem”. – Paulo.
(I TESSALONICENSES, 5:21.)
Disse o apóstolo Paulo: – “examinai tudo”, mas não se esqueceu de acrescentar: – “retende o bem”.

Muita gente se prevalece do texto para afirmar que os aprendizes do Evangelho devem ler indiscriminadamente, ainda mesmo quando se trate de ingerir os corrosivos da opinião em letras de jornal ou as fezes do pensamento em forma de livro. Sim, é natural que a mente amadurecida e equilibrada possa ler tudo e tudo observar, mas não é aconselhável que as crianças e os doentes, os fracos e alienados potenciais da razão tudo experimentem e tudo vejam.

[…] Assim, pois, se te reconheces em plenitude de robustez espiritual, analisa tudo, sabendo que é preciso reter o bem capaz de ajudar na edificação ou na cura dos outros. Se possuis [sic] o necessário discernimento e se dispões do tempo preciso, lê tudo, usando o crivo da compreensão e da utilidade, mas não olvides escolher o que seja bom e apenas prestigiar o que seja bom, em favor daqueles que ainda não pensam com segurança quanto já podes pensar.

Fonte: Xavier, F. C. Palavras de vida eterna. 23ª Ed. Uberaba: CEC, 1997.

Mensagem nº 341

A partir do momento em que vivemos num mundo onde veneno é mais barato do que comida, fracassamos enquanto humanidade.

Mensagem nº 340

“O esquecimento completo e absoluto das ofensas é peculiar às grandes almas; o rancor é sempre sinal de baixeza e de inferioridade. Não olvideis que o verdadeiro perdão se reconhece muito mais pelos atos do que pelas palavras.”

In: O evangelho segundo o espiritismo, 1864
Org. Hippolyte Léon Denizard Rivail

Conforme original:

L’oubli complet et absolu des offenses est le propre des grandes âmes ; la rancune est toujours un signe d’abaissement et d’infériorité. N’oubliez pas que le vrai pardon se reconnaît aux actes bien plus qu’aux paroles.

In: L’Évangile Selon le Spiritisme, 1864
Org. Hippolyte Léon Denizard Rivail

Mensagem nº 339

“Aquele que puser as mãos sobre mim, para me governar, é um usurpador, um tirano. Eu o declaro meu inimigo.”

>> Possivelmente apócrifo, não encontrei a fonte. Atribuído a:

Pierre-Joseph Proudhon
* Besançon, 15/01/1809 + Passy, 19/01/1865
Economista, sociólogo e filosofo francês.

Possivelmente inspirado por:

“Ser governado significa ser observado, inspecionado, espionado, dirigido, legislado, regulamentado, cercado, doutrinado, admoestado, controlado, avaliado, censurado, comandado; e por criaturas que para isso não tem o direito, nem a sabedoria, nem a virtude… Ser governado significa que todo movimento, operação ou transação que realizamos é anotada, registrada, catalogado em censos, taxada, selada, avaliada monetariamente, patenteada, licenciada, autorizada, recomendada ou desaconselhada, frustrada, reformada, endireitada, corrigida. Submeter-se ao governo significa consentir em ser tributado, treinado, redimido, explorado, monopolizado, extorquido, pressionado, mistificado, roubado; tudo isso em nome da utilidade pública e do bem comum. Então, ao primeiro sinal de resistência, à primeira palavra de protesto, somos reprimidos, multados, desprezados, humilhados, perseguidos, empurrados, espancados, garroteados, aprisionados, fuzilados, metralhados, julgados, sentenciados, deportados, sacrificados, vendidos, traídos e, para completar, ridicularizados, escarnecidos, ultrajados e desonrados. Isso é o governo, essa é a sua justiça e sua moralidade! … Oh personalidade humana! Como pudeste te curvar à tamanha sujeição durante sessenta séculos?”

Conforme texto original:

Être gouverné, c’est être gardé à vue, inspecté, espionné, dirigé, légiféré, réglementé, parqué, endoctriné, prêché, contrôlé, estimé, apprécié, censuré, commandé, par des êtres qui n’ont ni le titre, ni la science, ni la vertu… Être GOUVERNÉ, c’est être, à chaque opération, à chaque transaction, à chaque mouvement, noté, enregistré, recensé, tarifé, timbré, toisé, coté, cotisé, patenté, licencié, autorisé, apostillé, admonesté, empêché, réformé, redressé, corrigé. C’est, sous prétexte d’utilité publique, et au nom de l’intérêt général, être mis à contribution, exercé, rançonné, exploité, monopolisé, concussionné, pressuré, mystifié, volé ; puis, à la moindre résistance, au premier mot de plainte, réprimé, amendé, vilipendé, vexé, traqué, houspillé, assommé, désarmé, garrotté, emprisonné, fusillé, mitraillé, jugé, condamné, déporté, sacrifié, vendu, trahi, et pour comble, joué, berné, outragé, déshonoré. Voilà le gouvernement, voilà sa justice, voilà sa morale !

In: Idée Générale de la Révolution au XIX Siècle 1851

Mensagem nº 338

“Que pena que os seres humanos não podem trocar entre si seus problemas. Todo mundo sabe exatamente como resolver o problema alheio.”

Olin Miller
Empresário, humorista, poeta e autor estadunidense.

Mensagem nº 337

“Escrevo porque à medida que escrevo vou me entendendo e entendendo o que quero dizer, entendo o que posso fazer.
Escrevo porque sinto necessidade de aprofundar as coisas, de vê-las como realmente são…”

Chaya Pinkhasovna Lispector
* Chechelnyk, Ucrânia 10/12/1920 + Rio de Janeiro, Brasil 09/12/1977
Escritora ucraniana naturalizada brasileira

Em tempo: o fato de eu não gostar de Clarice Lispector e sua obra não muda meu acordo com esse dito.

Mensagem nº 335

“Aqueles que têm razão, não precisam perder a calma; aqueles que não têm razão, não podem se dar ao luxo de perdê-la.”

Robert Stephenson Smyth Baden-Powell
*Londres, 22/02/1857 + Nyeri, 8/1/1941
Tenente-general do Exército Britânico, fundador do Escoteirismo

Mensagem nº 333

“Quando a injustiça torna-se lei, a revolta torna-se dever.”

Autor desconhecido.
Fonte: https://www.monticello.org/site/research-and-collections/when-injustice-becomes-law-resistance-becomes-duty-spurious-quotation