O crescimento do criacionismo no Brasil – Parte 2

O CONFLITO CRIACIONISTA E EVOLUCIONISTA NO BRASIL
Formação científica insuficiente explica aceitação de ambas as interpretações entre estudantes e professores do ensino fundamental no país
Rogério F. de Souza
Sílvia Ponzoni
Cássia Thaís B. V. Zaia
Dimas A. M. Zaia

O avanço obtido pelo conhecimento científico é capaz de modificar as concepções de origem e evolução da vida na sociedade? A resposta a essa pergunta parece estar longe da que os homens de ciência gostariam. Um exemplo de que pouca coisa mudou em pleno século 21 é o duelo entre criacionistas e evolucionistas. Geralmente, a rejeição ao evolucionismo está relacionada a facções fundamentalistas existentes em diferentes religiões. Nas últimas décadas, em alguns países, grupos criacionistas vêm modificando suas estratégias a fim de conquistar novos adeptos ou simplesmente burlar questões  legais relacionadas ao ensino do criacionismo em sala de aula. Isso aconteceu por exemplo nos Estados Unidos, no início da década de 90, com o aparecimento do intelligent design (ID) (desenho inteligente).

Texto completo: SA2012b


Fonte: http://www.uel.br/laboratorios/lqp/pages/arquivos/Artigos%20PDF/SA2012b.pdf