Metodologia em ação (estágio) – Parte 1

VIVÊNCIAS E PERCEPÇÕES DO ESTÁGIO PEDAGÓGICO: CONTRIBUTOS PARA A COMPREENSÃO DA VERTENTE FENOMENOLÓGICA DO “TORNAR-SE PROFESSOR”
Susana Caires

Ao longo dos últimos anos, a investigação centrada no desenvolvimento dos estudantes do Ensino Superior surge, fundamentalmente, orientada para o estudo das suas experiências “intracampus”, surgindo em segundo plano a investigação mais centrada nas experiências que têm lugar fora deste contexto formativo (Caires, 2001, 2003; Cameron-Jones & O’Hara, 1999; Ryan, Toohey, & Hughes, 1996; Toohey, Ryan, & Hughes, 1996). Exemplo disso é o crescente número de produções que tem vindo a proliferar no nosso País, onde as problemáticas da adaptação, dos métodos de estudo, da qualidade do ensino, da satisfação ou do sucesso académico surgem como temas centrais (Almeida et al., 2002; Bastos, 1998; Diniz, 2001; Ferreira, 2000; Pereira, 1997; Rosário, 1999; Soares, 2003; Tavares et al., 2000). Muito embora, mais recentemente, as instituições de Ensino Superior tenham criado observatórios sobre a empregabilidade dos seus diplomados e a respectiva transição para o mundo do trabalho (Alves, 2001; Estanque & Nunes, 2001; Gonçalves, 2001; Martins, Arroteia, & Gonçalves, 2002; Taveira, 2001), prevalece uma grande disparidade de investimentos entre estas duas áreas.

Texto completo: v24n1a09


Fonte: http://www.scielo.gpeari.mctes.pt/pdf/aps/v24n1/v24n1a09.pdf

Anúncios