Brasil, Pátria achacadora 2 – A missão

Brasil, Pátria achacadora 2 – A missão

Este texto diz apenas mais do mesmo. Está avisado(a).

Desde o início de 2015 até agora, passados 10 meses, nada de fato mudou. Ou melhor, desde março: passado o frenesi das eleições, das festas e do carnaval, o ano só começa em março no Brasil. A orgiástica população alcoolizada está tão ébria que habitualmente perde 2 meses por ano sem se incomodar. Mesmo acostumado com tal realidade, desta vez impressiona-me muito a estagnação política e econômica que ora alegremente desfrutamos.

A inflação está crescendo; o desemprego, aumentando; a crise política impede a gestão do país; crimes de corrupção são revelados diariamente; programas governamentais não funcionam; a economia está em recessão. Mas espere: isto está assim desde que o ano começou! Creio que eu compartilhe com muitas pessoas a sensação de que nada está acontecendo. Parece que o núcleo político do país parou. Não estão fazendo nada! Bem, isso não é nenhuma novidade, eles nunca fazem nada mesmo… O país é empurrado com a barriga (ou outras partes do corpo) desde que foi fundado.

Porém estamos vivenciando agora de um modo que nunca houve antes. Todas as transformações contemporâneas são rápidas, as notícias correm na velocidade da internet. A sensação de marasmo, de inércia, de expectativa é ainda mais forte.
O Dragão gestado pela Estrela Vermelha está no cio e quer procriar! Adivinha em quê ele vai montar? Isso mesmo, NO TEU… bolso! Sem vaselina.

A inflação corrói as economias das pessoas mais pobres. Os saques na poupança aumentaram, o que indica que as pessoas estão se valendo de seus parcos porquinhos para pagar as contas. Estamos com inadimplência de 40%. Com isso sofrem as pessoas que devem, as empresas que não recebem (e não fecham caixa), o erário que não arrecada. E como fica quem financiou casa? As parcelas estão aí e os bancos não se importam muito se você paga ou não: a casa é a garantia. As pessoas podem começar a perder suas casas. Ah, sim, já começaram: o programa do governo “Minha casa, minha dívida” já começou a tomar as casinhas dos mais pobres que não conseguiram pagar. Se uma família não consegue pagar R$ 25,00 da prestação da casa, imagine quem paga R$ 2.500,00.

Os preços continuam aumentando, os juros bancários são mais impagáveis que de costume (e as tarifas também aumentaram outra vez no mesmo ano), e o que o governo faz? As tarifas de contas necessárias (água, energia) e o preço dos combustíveis de nossa roubada Petrobrás sobem. Como pode, numa situação econômica dessas, o governo aumentar taxas exatamente daquilo que mais alimenta a inflação? Desleixo? Descaso? Desnorteamento? Incompetência? Maconha?

E enquanto nossos amados governantes estão dando um tapa…, erm…, na cara do povo, o caos econômico se instaura. O pobre não tem como pagar, a empresa não tem como receber, o caixa não fecha, cortam-se custos: demite o João da Silva. O José de Souza. O Maximiliano J. Lancaster von Hoxenheimer III. Pobre ou rico, com ou sem sobrenome chique, ninguém é imune aos reveses da vida. Só que por trás de uma demissão, está um pai de família e algumas bocas para alimentar. A crise na Petrobrás causou demissões em massa e um efeito cascata em todos os setores dela dependentes.

Mas um tapinha não dói! Que tal mais um? Enquanto a massa padece, eles ainda reclamam aumento de seus próprios salários. Afinal, já que não querem largar o osso, que seja um osso gostoso!

Assim temos nosso cenário político. Os Petralhas se escondendo agora que a casa caiu, enterrando todos os ossos que podem, não querem sair de cima, parecem pior que cachorro engatado. Os Tucanos tirando sarro e botando lenha na fogueira: ou é o FHC dizendo que a Presidanta satanista governa um país falido, ou é o “Neto do cara” ainda sorrindo e querendo de qualquer jeito tirar a velha de lá, ou é outro qualquer metendo o malho no governo. Tem também o PMDB, tirando proveito da situação. E a turma do fundão, o resto que não se encaixa em lugar nenhum nem deixa nada encaixar.

E esse governo que não governa, ainda tem que lidar com o legislativo que não legisla e um judiciário que não julga. O Tribunal de Contas não julga se as contas estão contadas. Ele só analisa. Porra, isso eu também podia fazer… O Tribunal Eleitoral não deixa auditar votos. Ele só diz que ele mesmo está certo. Porra, isso eu também podia fazer… O STF não condena criminosos, não pune severamente ladrões e corruptos. Os ministros parecem só saber fazer pose e lamber o saco uns dos outros. Porra, isso eu…, ah não, isso eu não faço não!

E no nosso legislativo que não legisla está o grande Duduzinho. Ele faz o caos voar solto no congresso durante a semana e na folga vem espairecer com Slipknot no Rock in Rio. E tal como a Mônica Petista, não renuncia. Ele mesmo que estava do lado dos que a criticavam pelos escândalos de corrupção, agora está com o nome embolado no meio. Olha, eu particularmente não me importo se ele deu para a mulher R$ 1.000.000,00 para ela gastar com o professor de tênis. A intimidade do casal não é da minha conta… Cada um é livre para ser feliz. (Acho que eu tinha que virar professor de tênis…)

Só me interessa se essa grana partiu dos cofres públicos. Porque se foi, aí é meu dinheiro também! E eu preferiria que fosse gasto em um hospital, sei lá…

Ou seja, primeiro a Dilma, depois o Eduardo. A mocinha vai na frente e o mocinho vai atrás, empurrando a mocinha pra frente e pra trás! Que dança é essa meu rapaz?!?!
E molha-mão, badá, bada bada bá!
Corrupção, badá, bada bada bá!
É o Petrolão, badá, bada bada bá, ba bá!
Pra frente, pra trás, e o país não sai do lugar.

Carrinho de Mão

A Argentina também está assim, talvez pior, mas pelo menos a presidente de lá sabe dançar…

Os programas do governo se tornaram ineficientes, insuficientes. Cada vez mais se evidencia que foram feitos exclusivamente para angariar votos do grande curral eleitoral formado nos anos do governo Lula. O “Minha casa, minha dívida” já apresenta inadimplência, conforme mencionei; o programa “Mais escravos-médicos” agora tenta tratar a doente saúde pública. E a Pátria Achacadora, título deste texto, torna-se uma piada.

Como pode um país que opta por ter como lema “Pátria Educadora” mudar o ministro da Educação 3 vezes em menos de um ano? Logo no primeiro ano? Como podem querer realizar algum plano, além de fazer nEném? (que suponho será fonte de escândalos mais uma vez) Que tipo de educação querem fornecer, se eles mesmos só ensinam a comprar e vender cargos e interesses para manutenção de um poder corrupto?

Educação depende de toda a sociedade. Ela é um projeto para o futuro. Mas que futuro estamos projetando?

O país está sem uma direção. Parado. Essa sensação de paralisia política reflete-se na economia, que ora se vê em recessão. Com um governo que não governa, atolado em escândalos, o sensível sistema econômico mundial reflete insatisfação, preocupação, suspeita e descredibilidade em números. Nossa moeda nunca valeu tão pouco face ao Dólar, ao Euro e a si própria (devido à inflação). Investimentos são retirados pelos pobres para quitar dívidas; pelos ricos para prados mais verdejantes; por empresas para fechar caixa. Dinheiro valendo pouco, compras valendo muito, Carteira de Trabalho valendo nada. Direitos dos trabalhadores retirados no momento em que mais precisam (como o seguro-desemprego, por exemplo), deveres sendo impostos quando menos poderiam (aumento/criação de impostos em cenário de inflação, como a CPMF, por exemplo). Uma bola de neve cada vez maior, vindo em nossa direção, e aqueles que possuem autoridade e legitimidade para resolver o problema demonstram-se inertes frente ao perigo evidente.

É por esses motivos que eu defendo a impugnação da presidência. (impeachment, se você achar que inglês é falar bonito)

Não: eu não acredito que tirar Dilma Rouseff do poder vá ajudar em alguma coisa. Tampouco creio que qualquer um que lá estiver em seu lugar após a impugnação vá resolver o problema a curto ou médio prazo. A situação está tão complexa que pode levar alguns anos para resolver.

Defendo, contudo, que dar esse chacoalhão no governo vai tirar o país da inação em que se encontra, fazer as coisas se mexerem, mudar. Porque continuar esse achaque, não dá mais.


Para saber mais:

http://folhacentrosul.com.br/brasil/8707/economia-piora-e-brasil-entra-oficialmente-em-recessao
http://www.valor.com.br/financas/4258484/poupanca-registra-saques-de-r-53-bilhoes-em-setembro
http://www.ebc.com.br/noticias/economia/2015/10/quase-40-da-populacao-adulta-esta-incluida-em-cadastros-de-inadimplentes
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,caixa-fecha-cerco-a-inadimplentes-do–minha-casa-e-imoveis-serao-retomados,1765418
http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/2015/07/em-junho-juro-bancario-de-pessoa-fisica-sobe-e-bate-recorde-da-serie.html
http://www.jb.com.br/rio/noticias/2015/01/06/petrobras-suspensao-de-obras-ja-causou-demissao-de-10200-trabalhadores-no-rio/
http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2015-10-07/deputados-aprovam-aumento-salarial-de-1638-aos-ministros-do-stf.html
“Dilma vendeu a alma ao diabo”, afirma FHC
http://www.brasil.rfi.fr/geral/20150921-fernando-henrique-diz-jornal-les-echos-que-brasil-embarcou-em-projeto-megalomaniaco
http://epoca.globo.com/tempo/expresso/noticia/2015/10/lider-do-psdb-se-encontra-com-bicudo-para-novo-pedido-de-impeachment.html

Ação do PSDB no TSE: Cunha pode virar presidente do Brasil?


http://g1.globo.com/politica/noticia/2015/09/dilma-informa-renato-janine-que-ele-deixara-ministerio-da-educacao.html

Anúncios